Nenhum comentário


Android Studio

Nos últimos anos, tivemos uma grande evolução de dispositivos móveis, os chamados smartphones.  Em seguida, tivemos os tablets, com funcionalidades semelhantes aos telefones, mas com telas maiores, mais processamento etc.

Um dos grandes responsáveis pela popularidade desses equipamentos se deve ao sistema que controla esses devices. Um dos mais usados é o Android. Cada dia mais aplicativos Android são lançados no mercado. Neste artigo, quero mostrar uma ferramenta gratuita do Google para criar aplicações mobile. Vamos conhecer o Android Studio.

Existem outras IDEs para criar aplicações Android, como Eclipse e Xamarin, que podemos ver em outra oportunidade.

Dowload e instalação

Para baixar a ferramenta, acesse: http://developer.android.com/sdk/installing/studio.html. Baixe a última versão. Nesse artigo vamos usar a versão 0.5.2 (no update da ferramenta, já estamos na versão 0.6). Como podemos ver, a ferramenta é beta, mas suas qualidades saltam aos olhos.

A instalação é simples, sem muitas configurações. Precisamos também baixar e instalar o SDK do Android. São as ferramentas necessárias para que possamos criar projetos Android. Acesse: http://developer.android.com/sdk/index.html e baixa a última versão.

Versões do Android

O Android esta em constante atualização. Sua versão mais recente é a 4.4 (chamada KitKat). Cada versão possui caracteristicas distintas, desenvolvendo novos tipos de aplicativos, assim como novas funcionalidades. 

Você pode criar um aplicativo com a versão 1.0, que a mesma irá rodar no Android 4.4. Isso não quer dizer que funcionalidades, e controles de tela presentes no 4.4 estarão disponiveis para equipamentos com a versão 1.0. Um aplicativo pode ser criado para várias versões, como veremos adiante.

Precisamos instalar as versões que desejamos trabalhar, e para isso usamos o SDK Manager. Ele pode ser acessado através do menu do Windows. Ao abrir o SDK, ele mapeia todas as versões do Android, ferramentas e extras, indicando se os mesmos estão instalados em sua máquina (Figura 1).

Figura 1. SDK Manager com as versões, extras e tools instaladas

No SDK Manager podemos baixar as versões que vamos trabalhar, como também ferramentas e outros aplicativos necessários para o desenvolvimento Android.

Criando um emulador

Caso você não possua um device (celular) para testar sua aplicação, temos como criar um emulador, que fará o papel do device para visualizarmos o projeto. No SDK Manager, acesse o menu Tools>Manage AVDs

Nessa tela (Figura 2) podemos criar novos emuladores.

Figura 2. AVD Manager para criar um emulador

Agora, basta clicar em New. Na nova tela, vamos configurar o emulador, primeiramente, dando um nome (AVD Name). Em Device, vamos escolher o tipo de equipamento que o emulador terá de layout. Escolha um meio termo para que sua aplicação não seja mostrada em uma resolução muito grande ou muito pequena. Em Target, indicamos qual a API do Android que será usada.

Veja como fica as outras configurações na Figura 3.

 

Figura 3. Criando um emulador

Clique em OK. Agora o emulador esta presente na lista de emuladores do AVD Manager. Lembrando apenas que criar o emulador é necessário apenas se você não tem um device.

Criando o primeiro projeto

Ao abrir o Android Studio, temos a Figura 4 com suas funcionalidades. 

Figura 4. Tela do Android Studio

Na tela, temos o histórico dos projetos recentes, assim como podemos criar, importar ou abrir um projeto.

Nota: depois da primeira vez, o Android Studio abre sempre o último projeto.

No item Configure, somos direcionados para outra tela, onde podemos abrir o SDK Manager. Para criar um novo projeto, acesse New Project. A tela da Figura 5 será mostrada.

Figura 5. Criando um projeto no Android Studio

Na tela inicial do wizard, vamos configurar o nome da aplicação no item Application name. Module e Package são oriundos do Java para criarmos um nome único para a aplicação quando distribuirmos a mesma no Play Store (loja do Android). 

Minimum e Target SDK refere-se, respectivamente, a versão do Android mínima para utilização do aplicativo e qual a versão é nosso alvo/foco. Isso é importante, pois características e funcionalidades de aplicativos podem não estar disponíveis de acordo com a versão.

Por exemplo, mapas esta disponível a partir da versão 2.2 (API 8). Criando um aplicativo nessa versão mínima, consideramos que irá rodar em todas as versões posteriores do Android. Mas se quisermos utilizar funcionalidades presentes em versões mais recentes. Indicamos a versão no Target SDK.

Podemos escolher um tema para o aplicativo: Dark ou Light. Marque a opção que indica que vamos customizar o ícone do aplicativo. Os modos de suportem indicam que tipo de layout será suportado: barra de ações, grids, fragmentos, itens de navegação etc.

Clique em Next para na próxima tela configurar um ícone. No Android, temos quatro tamanhos de imagens. Pequena, média, grande e extra grande. É interessante, que quando adicionarmos imagens, tenhamos um arquivo para cada resolução. Veremos adiante, que existe uma pasta para cada tamanho de imagem.

Após escolher a imagem, no próximo passo, vamos escolher o layout do nosso aplicativo. O Android da a opção de criar aplicativo vazio, bem como uma aplicação com uma base pronta para apenas codificarmos o que precisamos. Veja abaixo os tipos de templates:

- Blank Activity: cria um aplicativo vazio com uma Action Bar;

 

 

- Blank Activity with Fragment: é um aplicativo vazio, com uma Action Bar e apenas com um fragmento.

 

 

- Empty Activity: aplicativo totalmente vazio (somente a estrutura é criada, sem nenhum arquivo de layout);

 

 

- Fullscreen Activity: aplicativo de tela cheia. Fica sobre barra de ações, de navegações etc.

 

 

- Google Maps Activity: cria um aplicativo para o Google Maps.

 

 

- Google Play Services Activity: aplicativo para conectar aos serviços do Google.

 

 

- Master Detail Flow: possui uma lista de itens, que ao clicar, abrem activitys. Um exemplo desse tipo de template é o WhatssApp.

 

 

- Navigation Drawer Activity: outro template muito usado atualmente (GMail, Foursquare etc), possui um “menu” lateral na esquerda com opções e a activity é mostrada na parte direita da tela.

 

 

- Tabbed Activity: aplicativo em branco, com action bar e navegação de elementos. Semelhante a uma lista de fotos onde podemos “passar” de uma foto para outra, correndo de um lado para o outro. A foto nesse exemplo, é um elemento.

 

Após escolher o template (vamos usar o Navigation Drawer Activity), clique em Next. A próxima e última aba vai ser diferente, de acordo com o template escolhido. Nela daremos os nomes para a Activity, layout e elements do projeto. Na Figura 6, temos o passo final do wizard.

Figura 6. Finalizando o projeto

Nota: neste artigo foi usado a versão 0.6.0 do Android Studio. Na versão 0.6.1 algumas modificações profundas foram adicionadas ao wizard, mas nada que mude a essência final do projeto. No primeiro passo, você escolhe o nome e local do projeto. No segundo, não temos mais Target SDK, agora apenas Minimum. O passo seguinte é onde escolhemos os templates e temos mais dois tipos: Settings Activity (para configurações) e Login Activity (para autenticação de usuário). Mudanças essas que não afetam o desenvolvimento final de um aplicativo.

Conclusões

Vimos neste artigo uma introdução sobre uma ferramenta gratuita para desenvolvimento de aplicativos para Android. Conhecemos como criar um aplicativo e quais as funcionalidades dessa ferramenta. No próximo artigo vamos dar continuidade no projeto e veremos algumas dicas para codificação e criação de layouts.

Um grande abraço a todos e até a próxima!